domingo, 26 de abril de 2009

Sobre Rio Preto

Fomos tocar em Rio Preto na sexta-feira. Foi ótimo viajar com a banda e tocar em um lugar onde eramos desconhecidos, mas do show eu falo depois...

Bacana foi conhecer a família da Fernanda, vê-los felizes em receber, além da filha, irmã, sobrinha, tia e prima querida, quatro malucos famintos e folgados. E quando eu falo "receber" não é só abrir a porta, oferecer um teto, como se isso já não fosse o bastate... é colocar na mesa uma quantidade de comida que alimentaria um festival de bandas vikings e depois ainda fazer um pudim de leite pro folgado do baixista (Rubão, vc é foda...), sinceramente, nem vou descrever todos os mimos que recebemos... pô, a mãe da Fê comprou travesseiros novos pra gente, entende? Vai imaginando o resto... muito mais do que merecemos. Agradecimentos máximos a toda família.

Depois de encher o bucho e descansar uns minutos fomos pro bar. Lugar bacana, muita gente, mesinhas, sinuca e uma máquina de pinball. Um palco pequeno para um show mais pesado, por isso tocamos num esquema light, com violão, batera reduzida, escovinha, só a Fernanda em pé soltando a voz. Acho que o som ficou bom. Fizemos duas entradas, sendo que na segunda o pessoal já tava com uma dosagem alcoólica mais elevada e agitou mais na frente do palco.

Duas coisas maravilhosas do show, e aqui vou me permitir babar um ovo: porra, cara, não é qualquer banda que tem a moral de coagir um guitarman como o Fábio Brum a se enfiar nessas gigs de última hora... e não é por que o cara seja um fresco ou chato, quem conhece sabe que é o contrário, é que o cara foi porque gosta do nosso som, sacou? Dá uma certa vaidade saber que uns músicos foda pra caralho gostam das nossas músicas. O cara fez bonito no show, solos de quem sabe, guitarra na hora certa, sem punheta, sem vaidade, mas brilhante.
A outra coisa bacana foi tocar sem estresse, sem nóia, um show leve, tocar rindo, caralho! Mudar a música no meio dela, repeti-la inteira pq tava realmente boa e o pessoal tava curtindo, e olha que o público não era exatamente composto de amantes do rock e blues...

Pegamos a estrada de volta no sábado, eu Arara e Rubão, a Fernanda veio de avião por conta de um trampo e o Brum, bem, vida Brum, meu caro...

2 comentários:

Anônimo disse...

bom né? eu achei tudo bom.

cmvm disse...

bom pra caralho, Rubão!